Temporada dos Ossos - Bone Season #01

Autora: Samantha Shannon
Título original: The Bone Season
Tradução: Cláudia Mello  Belhassof
Série: Bone Season
Editora: Fantástica Rocco
Páginas: 448
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

| Livro cedido em parceria com o Grupo Editorial Rocco

Sinopse: O ano é 2059. Até onde seu pai sabe, Paige Mahoney é funcionária de um dos vários bares de oxigênio espalhados pela cidade.
Seria perigoso deixá-lo a par de sua ligação com o submundo, onde ela trabalha para um poderoso mime-lorde chamado Jaxon Hall. Sua função: invadir a mente de outras pessoas para conseguir informações.
Paige é uma andarilha onírica - e, no governo opressor de Scion Londres, sua simples existência já configura uma traição.
No dia em que sua vida muda para sempre, está chovendo. Paige é perseguida, drogada e levada para Oxford - um lugar controlado pelos Rephaim, uma raça antiga e ameaçadora, com desígnios misteriosos para ela.
Nessa prisão inescapável e sob a guarda de um dos mais poderosos Rephaites, Paige precisará explorar os limites do próprio poder e aprender a confiar em aliados improváveis para evitar sujar as mãos de sangue e tentar lutar por sua liberdade.

Samantha Shannon
Temporada dos Ossos chamou minha atenção logo que foi lançado pela editora Rocco no ano passado (2016). É o primeiro livro da autora inglesa, Samantha Shannon, e fez tanto sucesso que já foi publicado em mais de 20 países, além de também ser considerada “a próxima J.K. Rowling” pelos críticos - o que não é para qualquer um, vale ressaltar.

A história se passa em 2059 na Inglaterra. Mas este país criado por Samantha Shannon é completamente diferente de como o conhecemos hoje. Isso porque em 1901, logo após a morte da rainha Vitória, a monarquia foi extinta. Um novo governo ditatorial, chamado Scion, foi criado e Londres, assim como muitas outras cidades na Grã Bretanha, foi sitiada. É assim que se dá início a Scion Londres, Scion Dublin e etc. É proibido a entrada e a saída dessas cidades sem uma autorização do governo.

É pelo medo que esse governo consegue manter todas as pessoas aprisionadas. Medo dos desnaturais, pessoas que conseguem de alguma forma se conectar com o mundo espiritual. Segundo o governo, o primogênito da rainha Vitória, Edward VIII, enlouqueceu e, em sua loucura, acabou com os limites naturais do mundo. Criando assim médiuns, adivinhos, sensitivos e todas as diferentes categorias de clarividentes.

Scion: Nenhum Lugar é Mais Seguro
As leis de Scion consideram alta traição qualquer ato envolvendo o uso do mundo espiritual ou a comunicação com ele. É assim que surge ilegalmente a Assembleia Desnatural, que teoricamente organiza as inúmeras gangues de clarividentes do submundo criminoso de Scion Londres.

Paige Mahoney é uma andarilha onírica. Ela tem o poder de captar os pensamentos das pessoas - queiram elas ou não. Sua ligação com o éter (o mundo espiritual) é muito forte. E por esse simples fato ela não deveria existir. Pelo menos não em Scion Londres. 

Quando tinha 16 anos, Paige largou os estudos e entrou no submundo criminoso de Londres. O líder de sua gangue, o mime-lorde Jaxon Hall, é conhecido por “colecionar” alguns dos clarividentes mais poderosos da cidade - incluindo Paige, obviamente. É ele quem garante a segurança de todos do grupo tanto entre outros clarividentes como com os aumaróticos (denominação para as pessoas que não possuem clarividência) que comandam Scion.

Havia um jeito adequado de fazer coisas com espíritos, pelo menos na nossa seção. Pieter, por exemplo, um dos nossos espíritos ajudantes - uma musa, se você quiser usar o termos técnicos. Eliza o deixava possuí-la, trabalhando em períodos de cerca de três horas por dia, e nesse tempo ela pintava uma obra de arte. Quando ela terminava, eu corria até Garden e a vendia para colecionadores de arte ingênuos. Pieter era temperamental, devo dizer. Às vezes ficávamos meses sem um quadro.
Em uma caverna como a nossa, não havia lugar para a ética. Isso acontece quando você obriga uma minoria a viver no subsolo. Acontece quando o mundo é cruel. Não havia nada a fazer além de seguir em frente. Tentar sobreviver, ganhar um pouco de dinheiro. Prosperar à sombra do Arconte de Westminster.
Paige, p. 19-20

Paige Mahoney
A vida de Paige muda quando ela decide visitar o pai, que acredita que a filha trabalha em um bar. O trem é parado e uma ronda em busca de desnaturais começa em todos os vagões. Quando chegam até Paige, ela está simplesmente aterrorizada e ataca os dois guardas com todo o seu poder. O que ela não imaginaria é que mataria um na hora e deixaria o outro completamente louco.

Paige foge, pede ajuda para o mime-lorde Jax, e aguarda até a chegada de Nick - um oráculo que faz parte do mesmo grupo que ela. Mas antes que seu salvador chegue, um grupo imenso de guardas aparecem para levá-la. Paige utiliza todas as suas forças para fugir, mas um dardo com uma droga extremamente forte para clarividentes a apaga. E é assim que uma das clarividentes mais poderosas de Londres é levada pelo governo.

Quando acorda, Paige é levada para um trem. E ela não está sozinha, mas sim com muitos clarividentes desnutridos, abatidos e fracos em sua maioria. Todos eles são levados para Oxford, uma cidade que o governo divulgava ter sido completamente destruída por um grande incêndio. 
Em Oxford, Paige vai conhecer os rephaim. Seres não-humanos e extremamente fortes, com a capacidade de matar os clarividentes sem nem ao menos tocá-los. Eles se consideram superiores a raça humana e utiliza a todos de acordo com as suas vontades. A soberana rephaim, Nashira Sargas, e seu consorte de sangue, Arcturus Mesarthim, apresentam um interesse especial em Paige e em seus poderes que não são tão conhecidos entre eles.

Nashira Sargas e Arcturus Mesarthim

É aí que Paige começará a compreender um pouco mais sobre o mundo em que vive, assim como duvidar da história de seu país e sobre os reais objetivos dos rephaim no planeta. Paige se envolverá em esquemas arriscados, arriscará sua vida muitas vezes e aprenderá em quem pode confiar. Tudo com dois únicos objetivos: sobreviver e fugir.

Respirei fundo. Devia ter mais coisa por trás daquilo, tinha que ter. De alguma forma, eu ia entender. Minha prioridade era sair dali. Até conseguir isso, eu ia vasculhar o local em busca de respostas. Eu não podia simplesmente ir embora, não agora que sabia para onde os videntes eram enviados. Eu não podia esquecer tudo que tinha visto e ouvido.
Paige, p. 69

Temporada dos Ossos me surpreendeu muito. Eu simplesmente devorei o livro em dois dias - ignorando trabalho e estudos sempre que possível, confesso. Não esperava que fosse gostar tanto de uma distopia, mas essa, sem sombra de dúvidas, entrou no ranking das minhas séries favoritas. Sabe aquela história que dá até dor de estômago de tanta ansiedade para terminar de ler? Então, foi o que aconteceu comigo. Juro.

Sim, eu sou badass

Paige é uma protagonista badass. Sério. É impossível alguém não gostar dela. De verdade. Eu acredito que não gostaria tanto assim da história se não fosse por ela. Paige é humana. É compassiva e inteligente, mas tem dúvidas e receios. Ela é uma das clarividentes mais poderosas, mas tem medo de descobrir até onde consegue chegar e por isso só usa seu poder quando necessário. E ainda é completamente impulsiva, fazendo com que ela reaja de forma extremamente corajosa quando menos se espera.

-Sua vaca! - gritei. - Sua vaca, sua vaca maldita! Ele nem era vidente!
-Verdade. Não era mesmo. - Nashira contornou a cadeira. - Mas os espíritos amauróticos são os melhores servos. Você não acha?
Alsafi estava prestes a deslocar meu ombro. Enfiei as unhas no braço do Mestre, o que estava machucado, o que eu tinha tratado. Ele enrijeceu. Não me importava.
-Vou matar vocês - falei, me dirigindo a todos eles. Eu mal conseguia respirar, mas falei. - Vou matar vocês. Juro que vou matar vocês.
Paige, p. 112

O único ponto negativo do livro foi a criação de um romance no fim da história. Considerei completamente desnecessário no atual momento da narrativa. Acredito que esse romance poderia existir sim, mas deveria ser melhor desenvolvido nos próximos livros e conduzido de uma forma diferente. Foi um detalhe que realmente me irritou, porque a obra até então estava simplesmente incrível.

Mas isso não me abalou inteiramente porque Samantha Shannon escreveu muito bem. Todos os arcos, descobertas e alguns detalhes que podem passar despercebidos para quem não ler com atenção. A autora ainda foi esperta e deixou o caminho aberto e preparado para a continuação da história. Eu mesma já tenho inúmeras teorias de revelações que devem ser feitas nos próximos livros. E estou extremamente feliz em contar a vocês que a sequência, A Ordem dos Clarividentes, já está a caminho da minha casa - por isso aguardem resenha em breve! ;)
  


12 comentários :

  1. Carolina!
    Distopia em um mundo futuro com poderes e clarevidência, é tema bem interessante e pelo visto, foi bem desenvolvido no livro.
    Fiquei bem curiosa por poder acompanhar a trama que tem Paige como protagonista, mas também para conhecer mais sobre Oxfod e os rephaim, por que será que se interessaram tanto por ela?
    Bom domingo e semaninha cheia de luz e paz!
    “A sabedoria consiste em compreender que o tempo dedicado ao trabalho nunca é perdido.” (Ralph Waldo Emerson)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Nunca tinha sentido interesse em ler esse livro, no entanto após sua resenha e meio impossível não sentir vontade de dar uma chance a essa leitura, até porque e possível notar que a autora fez um trabalho incrível, e construiu uma distopia intensa, envolvente, e surpreendente, que nos prende desde do começo ao fim. Enfim, já que conhecer melhor essa personagem que me pareceu ser cativante, e deixa a trama ainda mais interessante.

    ResponderExcluir
  3. Adoreii a resenha!! Me deixou realmente curiosa sobre esse livro!! Gosto de distopias bem escritas e personagens fortes e inspiradoras, claramente o que esse livro é! Quero lê-lo com certeza, para descobrir mais sobre esse mundo humano em contato com o espiritual e o que esse poder de Paige é capaz

    ResponderExcluir
  4. Oi Carolina, essa parece ser uma distopia e tanto e com uma personagem central badass de bônus pra arrebatar o leitor. Curti muito a resenha e até mesmo curti que tem romance, pois sim, sou dessas que curte um romance em meio ao caos desde que ele não se torne o foco :)

    ResponderExcluir
  5. Oiie! E o tanto que eu sou doida pra ler esse livro, tenho lido mta coisa boa sobre ele, o enredo tá excelente, qro conseguir ler em breve.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oi Carol! Nossa, fiquei ensandecida lendo essa resenha, sério!! OMG. Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas agora parece que preciso dele mais que tudo! Eu sou simplesmente a louca das distopias hahaha Com toda certeza está na lista de próximos livros pra comprar!! Aguardando a resenha do próximo! <3

    ResponderExcluir
  7. Quero ler, parece ser muito envolvente e bem trabalhado, você leu bem rápido. A personagem parece nos conquistar e fazer com que torcemos cada vez mais por ela, quanto mais poder ela tem mais interesse desperta nos outros, as pessoas estão sempre atrás de poder se usassem só para o bem estava ótimo, mas acho que o interesse dos rephaim não deve ser, já que usam essa especie digamos assim pelos seus interesses, mas terei que ler para saber rs.

    ResponderExcluir
  8. Uau, essa distopia parece ser incrível, faz bastante tempo que não leio algo que fuja um pouco da realidade, a personagem parece que nos conquista pelo seu jeito de mesmo sendo uma das mais poderosas clarividentes, continua sendo humana, fiquei bem curiosa para saber o que acontece no final e se a Paige vai conseguir sair dessa.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oi Carolina,
    Como a história se passa no futuro eu estava imaginando algo bem mais no estilo ficção científica, mas o livro trás muitos elementos de fantasia, mas com uma ambientação bem rica e construída. Eu já tinha lido resenhas desse livro, mas nunca entendi muito bem qual era a proposta da autora, pois toda a trama me parece ser bem complexa e composta de muitos elementos diferentes. O dom da clarividência em uma trama sempre envolve muita responsabilidade e perigos e isso fica comprovado perante as situações que Paige irá enfrentar. Fiquei bem curiosa com este livro e para conhecer essa personagem forte e marcante que Samantha Shannon criou.

    ResponderExcluir
  10. Uau!
    Confesso que não sou a maior fã de distopias, inclusive, quando comecei a ler a resenha não estava curtindo muito mas fui surpreendida do meio pro final, achei muito legal a história, bem diferente e toda essa coisa de ler mentes me cativou muito.
    Com certeza é uma leitura que eu quero experimentar!

    ResponderExcluir
  11. Oi Carolina,
    Não era muito de ler distopia, mas de uns tempos pra cá minha lista de desejados desse gênero não para de crescer.
    A sinopse por si só já me fisgou, com esse enredo peculiar de bares de oxigênio e uma prisão inescapável em Oxford? É leitura intrigante e que prende o leitor na certa.
    Gostei dessa garota, adoro protagonistas marcantes e decididas que nem a Paige, quero conhecer mais essa clarividente tão poderosa.
    Estou ansiosa pela resenha da continuação, assim sacia um pouco da minha curiosidade até ter os livros na estante.
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Estava tendo problemas em encontrar a primeira resenha de junho para o top comentarista, e não tenho certeza se essa é a certa, mas EU AMO DISTOPIAS! E é tão diferente de tudo que eu já tenha lido, ainda mais que nunca li sobre clarividentes. Uma pena que ainda não tem todos os livros lançados, eu não sei esperar, mas com certeza vou ler ❤

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook