Depois Daquela Montanha

Autor: Charles Martin
Título Original: The Mountain Between Us
Tradução: Vera Ribeiro
Editora: Arqueiro
Páginas: 304
Onde Encontrar: AmazonBr | Submarino | Livraria Cultura

| Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro |
Sinopse: O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo. Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida. Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada. Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.
Alguns livros nos cativam logo de cara. Com sua sinopse, escrita, personagens, situações. Sempre que nos envolvemos, queremos ir até o fim. E foi o que aconteceu durante a leitura de Depois Daquela Montanha, do autor Charles Martin. Desejei este livro a primeira vez por conta de sua adaptação para os cinemas. Uma das personagens principais, Ashley, será interpretada por uma das minhas atrizes favoritas, Kate Winslet, e conheci o filme e livro por conta deste detalhe. O nosso outro protagonista, Ben, terá como seu interprete Idris Elba. Mas foi através do livro que minha ansiedade por esta adaptação literária despertou de fato.

As Cordas Mágicas

Autor: Mitch Albom
Título original: The magic strings of Frankie Presto
Tradução: Lúcia Brito
Editora: Arqueiro
Páginas: 352
Onde encontrar: AmazonBR | Saraiva | Submarino
 
| Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro |
Sinopse: Francisco Presto nasceu numa pequena cidade da Espanha em plena guerra civil. Com a infância marcada por tragédias, Frankie se torna pupilo de um professor de música cego, que se dedica a lhe ensinar tudo o que sabe.
Ao completar 9 anos, ele foge para os Estados Unidos carregando consigo apenas seus bens mais preciosos: um violão e seis cordas mágicas.
Com um talento fora do comum para tocar e cantar, Frankie rapidamente alcança o estrelato e influencia o cenário musical do século XX, apresentando-se ao lado de nomes consagrados como Elvis Presley e Little Richards.
No entanto, seu dom se transforma em um terrível fardo quando ele percebe que pode afetar o futuro das pessoas: uma corda de seu violão fica azul cada vez que uma vida é alterada.
No auge do sucesso, assombrado por seus erros e por seu estranho poder, Frankie sai de cena por anos, apenas para ressurgir para um espetacular e misterioso adeus.
Antes de tudo preciso dar um aviso a vocês. Esse livro é, realmente, de verdade, sem brincadeira, tudo isso que falam dele. Eu comecei a leitura cheia de expectativas por conta da sinopse. Quando o livro chegou e eu vi todos aqueles elogios nas orelhas, fiquei extremamente ansiosa para começar a leitura. E, gente, que livro. É tiro atrás de tiro.

"- A música machuca. Está me entendendo, garoto?" El Maestro, p. 50

A dor que foi ler esse livro. Eu o li no metrô, na ida e volta ao trabalho e na hora do almoço. E eu não pude chorar em nenhum desses momentos! Então, sempre que a cena me tocava, ou até mesmo uma simples frase despertava aquele sentimento único de "porra, que livro maravilhoso" e as lágrimas simplesmente surgiam, eu não podia libertá-las. 

"Uma canção dentro de uma gaiola nunca é uma canção. É um apelo." Música, p. 85

Até que, depois de 185 páginas, eu sentei à mesa com meus pais para o jantar e falei "Preciso contar uma coisa pra vocês." E eu chorei. Solucei tudo o que eu não pude fazer durante os trajetos pela cidade. E os dois só olhavam pra mim, me achando louca, com certeza. Mas pelo menos eu pude tirar toda aquela dor de dentro de mim. Então, meu conselho para vocês é: leiam em algum lugar seu. Se você se sentir bem chorando durante o almoço no trabalho, quem sou eu para impedir, certo? Mas prefira seu quarto nesses casos, ok? Ok. 



Não importa se é ficção ou não, se o livro consegue atingir aquele lugar especial em sua alma, então essa é uma história que merece ser lida.

Nunca Jamais - Never Never #01

Autoras: Colleen Hoover e Tarryn Fisher
Título original: Never Never
Tradução: Priscila Catão
Série: Never, Never
Editora: Galera Record
Páginas: 192
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa


Sinopse: Charlize Wynwood e Silas Nash são melhores amigos desde pequenos. Mas, agora, são completos estranhos. O primeiro beijo, a primeira briga, o momento em que se apaixonaram... Toda recordação desapareceu. E nenhum dos dois tem ideia do que aconteceu e em quem podem confiar.
Charlize e Silas precisam trabalhar juntos para descobrir a verdade sobre o que aconteceu com eles e o porquê. Mas, quanto mais eles aprendem sobre quem eram, mais questionam o motivo de estarem juntos para começo de conversa.

Nunca Jamais é o primeiro de três livros de série Never Never escrita em parceria por Colleen Hoover (autora de Métrica, Um Caso Perdido e O Lado Feio do Amor) e Tarryn Fisher (autora de A Oportunista). Devo confessar que, embora seja muito fã da Colleen Hoover, não tinha altas expectativas desse livro por ouvir muitos comentários negativos de quem já havia lido. E eu não poderia estar mais enganada.

O livro tem a narrativa dividida por Charlie e Silas, dois adolescentes populares e namorados, mas que perderam completamente a memória. 

A história começa com Charlie percebendo estar em uma sala de aula, mas sem saber o próprio nome e nem reconhecer ninguém ao redor. Ao se deixar levar pelas pessoas que parecem conhecê-la, Charlie descobre seu nome e também que tem um namorado, Silas.

Metamorfose? - O Protetorado da Sombrinha #02

Autora: Gail Carriger
Título original: Changeless
Tradução: Flávia Carneiro Anderson
Série: O Protetorado da Sombrinha
Editora: Valentina
Páginas: 320
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa


Sinopse: Nesta deliciosa e maldita sequência da série iniciada com Alma?, Alexia Tarabotti se encontra envolvida, só pra variar, em um mistério sobrenatural.
Alexia Maccon, a esposa do Conde de Woolsey, é arrancada do sono cedo demais, no meio da tarde, porque o marido, que deveria estar dormindo como qualquer lobisomem normal, está aos berros. Dali a pouco, ele desaparece – deixando a cargo dela um regimento de soldados sobrenaturais acampados no jardim, vários fantasmas exorcizados e uma Rainha Vitória indignada.
Mas Lady Maccon conta com sua fiel sombrinha, seus artigos da última moda e seu arsenal de respostas mordazes. Mesmo quando suas investigações a levam à Escócia, o cafundó do Judas onde abundam abomináveis coletes, ela está preparada e acaba provocando uma verdadeira reviravolta na dinâmica da alcateia, como só uma preternatural é capaz de fazer.
Talvez até encontre tempo para procurar seu imprevisível marido. Mas apenas se... lhe der vontade. 

O Protetorado da Sombrinha é uma das minhas séries favoritas. Sou muito grata à editora Valentina por ter publicado esses livros no Brasil e desejo de coração que ela ainda traga as outras séries da autora, Gail Carriger.

Gail Carriger, a autora
A série, O Protetorado da Sombrinha, é formada por cinco livros: Alma? (Resenha), Metamorfose?, Inocência?, Coração? e Timeless (único volume ainda não publicado no Brasil). 

Como comentei na resenha de Alma?, os livros fazem parte do gênero Steampunk, um subgênero da ficção científica que trata de obras ambientadas no passado, mas com uma tecnologia muito além da época. 

Assim começamos Metamorfose?, que é a sequência direta do primeiro livro. Encontramo-nos novamente com a querida Alexia, só que agora como Lady Maccon, preternatural, fêmea alfa da alcateia de Woolsey e mujah da rainha Victoria.

-Eles estão o quê?
Lorde Conall Maccon, conde de Woolsey, gritava. E muito. O que era de esperar, já que tanto pela incrível capacidade pulmonar quanto pelo tórax proeminente tinha um vozeirão.
Alexia Maccon, esposa do conde de Woolsey, muhjah da rainha e extraordinária arma secreta preternatural da Grã-Bretanha, arregalou os olhos ao ser arrancada do sono agradável e profundo.
-Não fui eu - disse ela na mesma hora, sem nem imaginar a que o marido se referia. Claro que, na maioria das vezes era ela, mas não valia a pena reconhecer de uma vez a culpa, independentemente do que o tivesse irritado tanto.
p. 9

O segundo livro tem início, para variar, com um desastre sobrenatural em Londres. Alexia é acordada antes mesmo do sol se pôr pelos gritos de seu marido, lorde Conall Maccon, lobisomem alpha da alcateia de Woolsey e chefe do DAS (Divisão de Assuntos Sobrenaturais). Mas antes que consiga descobrir o que fez seu marido levantar tão cedo da cama, ele parte em missão sem ao menos comunicá-la!

Lúcida

Autores: Ron Bass & Adrienne Stoltz
Título original: Lucid
Tradução: Glenda D'Oliveira
Editora: Galera
Páginas: 364
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino

| Livro cedido em parceria com o Grupo Editorial Record |
Sinopse: Um thriller psicológico eletrizante, do roteirista de Rain Man e O casamento do meu melhor amigo. Sloane é uma aluna nota 10, com uma grande e amorosa família. Maggie vive uma existência glamorosa e independente, como aspirante a atriz em Nova York. As duas não poderiam ser mais diferentes. A não ser por um pequeno detalhe, algo que não têm coragem de revelar a ninguém. À noite, cada uma sonha que é a outra. Os sonhos são tão vívidos que as garotas sentem e experimentam o que a outra está passando naquele momento. Seriam as duas reais? Uma delas estaria mentalmente instável e imaginando a outra? Seriam ambas a mesma pessoa? Qual delas é real?

A resenha de hoje vai ser um pouco diferente do que o que eu estou habituada. Não que eu nunca tenha feito isso, acredito que já (ou pelo menos que tenha sido similar no caso de O Papel de Parede Amarelo), mas eu li esse livro com a intenção de entender a sinopse e vim resenha-lo com a intenção de entende-lo. Vou dar a minha opinião, mas quero trazer algumas questões também, então espero que gostem!

A história de Lúcida trata da vida de duas garotas, completamente diferentes, e que não se conhecem. Maggie, uma aspirante a atriz, mora em Nova Iorque e vive a vida em busca dos papeis que podem lhe dar o espaço que quer, sem se preocupar com escola, por exemplo. Vive com a mãe, uma poderosa editora de uma revista de moda, porém pouco presente e distante, e com a irmã mais nova. Sloane é uma aluna exemplar, com uma personalidade forte regada a ironia e sarcasmo, que acabou de perder o melhor amigo em um acidente e agora precisa encarar as normalidades de ser uma adolescente vivendo com os pais e os dois irmãos.

Tudo isso ainda é normal, a não ser pelo fato de que, ao dormirem, uma sonha que é a outra.

Como sempre, Sloane passeia pelos meus pensamentos enquanto vou apagando. Fecho os olhos. (Maggie, p. 21)

Mesmo tendo dormido, não descansei. Sonhei, como sonho todas as noites, com o dia inteiro de Maggie em Manhattan. (Sloane, p. 23)

Entre o Último e o Primeiro Dia - Um Conto da Série Batidas Perdidas

Autora: Bianca Briones
Série: Batidas Perdidas
Editora: AmazonBr (formato e-book)
Páginas: 60
Onde Encontrar: AmazonBR

Sinopse: Entre o Último e o Primeiro Dia" é um conto da série Batidas Perdidas, em que Rafael e Viviane retornam para narrar o Ano Novo dos Villa, Albuquerque e agregados.
Em uma história encantadora, que continua tratando de temas fortes, sem deixar de lado o amor e a lealdade àqueles que amamos.
E nos lembrando da importância das decisões tomadas entre o último e o primeiro dia do ano e do quanto elas podem impactar nossas vidas.
Rafael e Viviane voltam com a sua característica mistura de doçura e sensualidade.
Sem nos esquecer, é claro, da incapacidade do Rafa de segurar seus palavrões.

No último dia de 2016, recebemos um grande presente de fim de ano da autora nacional Bianca Briones. Um conto de Ano Novo, em formato de e-book e narrado pelos protagonistas queridos de As Batidas Perdidas do Coração: Rafa e Vivi. Nem preciso dizer que fiquei muito feliz com a oportunidade de reviver um pouquinho das histórias desses personagens que marcaram minha vida como leitora.

Para quem ainda não conhece a Bianca, ela é autora da série Batidas Perdidas, publicada pela Verus Editora, e que hoje, conta com quatro livros físicos e o novo e-book. Também escreveu Como Se Fosse Magia, publicado pela Gutemberg e publicou um e-book independente pela Amazon, intitulado Em Suas Mãos. Vocês podem conferir todas as resenhas da série Batidas Perdidas aqui, e já adianto que não vão se arrepender, pois a Bianca é uma excelente autora, extremamente dedicada e que com certeza tocará o coração de vocês, leitores, também. Vamos ao conto? :)

Prometida - Perdida #04

Autora: Carina Rissi
Série: Perdida
Editora: Verus
Páginas: 462
Onde encontrar: AmazonBR | Saraiva | Submarino


| Livro cedido em parceria com o Grupo Editorial Record |

Sinopse: Elisa Clarke anda um pouco entediada. Seus dias parecem iguais e os bailes há muito deixaram de trazer algum prazer a ela. Não que seja uma surpresa, pois sempre que ela está presente os eventos se tornam um desastre! E é injusto, já que ela foi uma boa moça a vida toda. Nascida em uma das famílias mais influentes, a jovem aprendeu desde pequena a respeitar as normas sociais e se manter longe de escândalos. Na única vez em que ignorou uma dessas regras, acabou noiva. E foi apenas um beijo, ora bolas! Um beijo com o qual Elisa fantasiou desde que conheceu e se apaixonou irrevogavelmente pelo belo e gentil jovem médico e que, como acontece nos contos de fadas, mudou sua vida para sempre. Mas não da maneira que ela esperava. Como consequência, agora está prometida a alguém que a despreza tanto que preferiu viver em outro continente. Tudo o que ela deseja é que as coisas permaneçam assim. Mas Elisa não sabe que seu noivo está a caminho do Brasil, e ela terá de enfrentar o homem cujo coração um dia se viu forçada a partir. Destinados a ficar juntos, mas separados por seus corações, eles se envolverão em uma sinuosa dança marcada por segredos, mágoas do passado, intrigas e uma arrebatadora paixão que colocará em perigo não apenas seus sentimentos, mas a vida de ambos.

O que dizer desse livro? Se eu gosto de chick-lit, é porque a Carina escreve. Nossa linda autora nacional sabe como contar uma história e emocionar nossos corações (vide Destinado, o melhor livro da série, na minha opinião). Prometida, uma longa jornada para casa se passa três anos após Destinado e é narrado por Elisa Clarke, a irmã mais nova de nosso príncipe Ian, e por Lucas Guimarães, nosso jovem médico. Vocês podem estar se perguntando: por que Elisa ainda não está vivendo sua linda história de amor? Bom, "uma longa jornada para casa" é realmente... longa.

Eu fiquei tão angustiada durante o livro, porque tudo o que eu queria é que os dois fossem felizes e se amassem, mas sempre alguma coisa acontecia e impedia a minha felicidade (e a deles). Samuel, quem conheceremos mais em breve, me representou!
“- É um pouco mais complicado.
- Só porque vocês, adultos, gostam de complicar tudo. Você gosta do Lucas. Ele gosta de você. Você deixou ele bravo e ele te fez chorar. Vocês deveriam pedir desculpas e resolvê tudo isso de uma vez.” Elisa e Samuel, p. 366

E Viveram Felizes Para Sempre - Os Bridgertons #09

Autora: Julia Quinn
Título original: The Bridgertons: Happily Ever After
Tradução: Viviane Diniz
Série: Os Bridgertons
Editora: Arqueiro
Páginas: 256
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa


| Livro cedido em parceria com a Editora Arqueiro


Sinopse: Alguns finais são apenas o começo...
Era uma vez uma família criada por uma autora de romances históricos...
Mas não era uma família comum. Oito irmãos e irmãs, seus maridos e esposas, filhos e filhas, sobrinhas e sobrinhos, além de uma irresistível matriarca. Esses são os Bridgertons: mais que uma família, uma força da natureza.
Ao longo de oito romances que foram sucesso de vendas, os leitores riram, choraram e se apaixonaram. Só que eles queriam mais. Então começaram a questionar a autora: O que aconteceu depois? Simon leu as cartas deixadas pelo pai? Francesca e Michael tiveram filhos? O que foi feito dos terríveis enteados de Eloise? Hyacinth finalmente encontrou os diamantes?
A última página de um livro realmente tem que ser o fim da história? Julia Quinn acha que não e, em E viveram felizes para sempre, oferece oito epílogos extras, todos sensuais, engraçados e reconfortantes, e responde aos anseios dos leitores trazendo, ainda, um drama inesperado, um final feliz para um personagem muito merecedor e um delicioso conto no qual ficamos conhecendo melhor ninguém menos que a sábia e espirituosa matriarca Violet Bridgerton.
Veja como tudo começou e descubra o que veio depois do fim desta série que encantou leitores no mundo inteiro.

Sabe quando você gosta tanto de alguns personagens que começa a desejar um novo livro só para reencontrá-los novamente?! Então, é exatamente esse o sentimento quando se pega para ler E Viveram Felizes Para Sempre, o nono e último livro da série Os Bridgertons, da renomada Julia Quinn (confira aqui nossa entrevista com a autora).

Julia Quinn
Depois de contar as histórias dos oito irmãos e irmãs Bridgertons - O Duque e Eu (Resenha), O Visconde Que Me Amava (Resenha), Um Perfeito Cavalheiro (Resenha), Os Segredos de Colin Bridgerton (Resenha), Para Sir Phillip, Com Amor (Resenha), O Conde Enfeitiçado (Resenha), Um Beijo Inesquecível (Resenha) e A Caminho do Altar (Resenha) -, Julia Quinn presenteia todos os fãs da série com segundos epílogos de cada um, além de narrar um pouco mais sobre Violet Bridgerton, a matriarca dessa família divertida e apaixonante.

Um detalhe interessante é que antes de cada segundo epílogo, a autora escreveu uma pequena nota explicando o tema que trará nesses pequenos “contos” e a razão de ter escolhido determinado assunto.

Sendo assim, começamos a leitura reencontrando Daphne e Simon, protagonistas do primeiro livro da série (O Duque e Eu). Julia Quinn nos explica que os leitores perguntavam a ela o que estava escrito nas cartas do pai de Simon, deixadas para o filho e que nunca foram lidas por ele até então. Ela também nos fala que o conteúdo, na realidade, não tinha relevância. Isso porque, para Simon, finalmente, não importava o que o falecido duque achava dele. É por isso que vamos descobrir o que motivou Simon a finalmente ler as cartas do pai.

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook