Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir - Os Números do Amor #03

Autora: Sarah MacLean
Título original: Eleven Scandals to Start to Win a Duke’s Heart
Tradução: Fabiana Colasanti
Série: Os Números do Amor
Editora: Arqueiro 
Páginas: 336
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

| Livro cedido em parceria com a editora Arqueiro |

Sinopse: Juliana Fiori é uma jovem ousada e impulsiva, que fala o que pensa, não faz a menor questão de ter a aprovação dos outros e, se necessário, é capaz de desferir um soco com notável precisão. Sozinha após a morte do pai, ela precisa deixar a Itália para viver com seus meios-irmãos na Inglaterra.
Ao desembarcar no novo país, sua natureza escandalosa e sua beleza estonteante fazem dela o tema favorito das fofocas da aristocracia. Pelo bem de sua recém-descoberta família britânica, Juliana se esforça para domar seu temperamento e evitar qualquer deslize que comprometa o clã. Até conhecer Simon Pearson, o magnífico duque de Leighton.
O poderoso nobre não admite nenhum tipo de escândalo e defende o título e a reputação da família com unhas e dentes. Sua arrogância acaba despertando em Juliana uma irresistível vontade de desafiá-lo e ela decide provar a ele que qualquer um – até mesmo um duque aparentemente imperturbável – pode ser levado a desobedecer as regras sociais em nome da paixão.

Sarah MacLean é uma autora de romances de época que me conquistou recentemente e desde então tenho desejado conhecer todas as suas histórias. Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir é o último livro da trilogia Os Números do Amor (Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar e Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter) - sendo que todos foram publicados pela editora Arqueiro no país.

Capas da trilogia Os Números do Amor publicada pela Arqueiro

Dessa vez, a protagonista é ninguém menos que a srta. Juliana Fiori, irmã quase bastarda de Gabriel St. John, marquês de Ralston, (protagonista de Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar) e lorde Nicholas St. John (protagonista de Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter). A jovem, assim como os irmãos mais velhos, foi abandonada pela mãe ainda criança e criada pelo pai italiano. Com o apoio da família e também da família de sua cunhada, Juliana tem garantido sua permanência nos eventos mais prestigiados de Londres. Mas a jovem é impulsiva e ousada, isso segundo os parâmetros britânicos da época, o que torna quase impossível uma possível proposta de casamento de um bom cavalheiro.

-Não estou dizendo que deva se casar, Juliana. Pelo contrário, se preferir uma vida sem casamento, Deus sabe que você tem dinheiro suficiente para vivê-la. Mas tem que se perguntar como acha que sua vida deve ser.
Juliana abriu a boca para responder ao irmão, apenas para perceber que não tinha uma resposta para dar. Ela nunca pensara muito nisso - não desde que seu pai morrera e tudo mudara. Na Itália, casamento e família não estavam fora de questão, embora ela jamais tivesse considerado de verdade a hipótese. Mas, aqui, na Inglaterra...
Quem iria querê-la?
Sem ter consciência dos pensamentos dela, Ralston se levantou, encerrando a conversa com uma reflexão final.
-Nunca pensei que diria isso, mas o amor não é tão ruim quanto achei que seria. Se acontecer para você, espero que não o rejeite de cara.
Ela balançou a cabeça.
-Espero que não aconteça para mim.
Um sorriso surgiu em seu rosto.
-Já ouvi isso antes, sabe? Eu disse... Nick disse... Mas, considere-se avisada: os St. John não parecem capazes de evitá-lo.
Gabriel e Juliana, p. 103

E desde que chegou à Inglaterra o jovem duque de Leighton, Simon Pearson, tem sido um dos poucos a conseguir aflorar seu temperamento italiano. O arrogante nobre não tolera ser tema das fofocas da aristocracia e por isso tenta sempre manter distância de Juliana, que é por si só um pequeno escândalo, mesmo tendo uma dívida de gratidão e amizade por seu irmão Nicholas St. John.

A vontade de provar que o arrogante duque está errado em seu modo de viver, faz com que Juliana o desafie. E, em meio ao calor do momento, Simon aceita o desafio. Ela tem certeza que conseguirá demonstrar para ele como todos precisam de paixão nessa vida. Já ele tem plena crença de que mostrará a senhorita escândalo que a reputação sempre triunfa. 

Agora eu odeio você, seu bastardo presunçoso.

Simon Pearson é discreto, cumpre seu papel como duque no parlamento britânico e é um dos partidos mais desejados da estação. Ele planeja ter um casamento respeitável com uma moça de uma família da nobreza antiga que solidifique a reputação de sua família, uma das mais antigas da aristocracia britânica, embora isso não o faça feliz. O que Juliana não sabe é que Simon guarda um grande segredo e ele, assim como sua criação, é um dos principais motivos de toda a cautela do jovem duque. 

A palavra foi sussurrada, baixa e sombria, no ar pesado da manhã. Ele puxou a mecha de cabelo, puxando também Juliana para si, até ficarem a meros centímetros um do outro.
Juliana entreabriu a boca em uma rápida inalação de ar, roubando a atenção dele.
E, quando ele viu aqueles lábios exuberantes e largos ligeiramente abertos, implorando por ele, não conseguiu resistir. E nem tentou.
Ela tinha gosto de primavera.
Simon, p. 67

Em meio a passeios a cavalo no parque antes do sol nascer, encontros inesperados em carruagens, jardins e estábulos, os dois vão se conhecer um pouco melhor e aflorar sentimentos fortes. Mas quem vencerá a aposta no final? Só lendo para descobrir! ;)

Baixou os olhos com contrariedade para o vestido. Ela o escolhera para ele, sabendo que ficava adorável de roxo. Ela queria que ele a visse. Que ele a notasse.
E não por causa da aposta.
Desta vez, queria que ele se arrependesse das coisas que havia dito a ela.
Não tenho tempo para os seus jogos.
Fora um jogo no começo - a carta, o convite descarado -, mas depois que ela caíra no lago e ele a salvara, qualquer brincadeira havia desaparecido junto com sua touca, perdida no fundo do Serpentine.
E quando ele a tomou em seus braços quentes e fortes e sussurrou palavras em italiano para ela... isso foi mais forte do que qualquer coisa que ela já tinha sentido antes.
Juliana, p. 93

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir foi uma leitura deliciosa! A jovem Juliana Fiori, talvez pelo fato de ser metade italiana, se tornou uma das minhas protagonistas favoritas do gênero. Ela não tem filtro algum e fala tudo o que lhe vem à mente, por conta disso e também por sua grande beleza, Juliana é um tema recorrente nas fofocas da invejosa aristocracia britânica. Embora a falta de aceitação na sociedade magoe a jovem, ela é forte e tem plena consciência do que a faz feliz e do que deseja. Simplesmente, ela faz o que quer fazer e não se importa o tempo todo com o que vão dizer sobre isso. O único medo que aterroriza Juliana é de se tornar uma cópia da mãe, que abandonou todos os filhos sem pensar duas vezes. Mas logo se percebe que a jovem nunca seria tão insensível como sua progenitora. 

Sarah MacLean
Já Simon Pearson é um rapaz que leva tempo para se criar algum tipo de empatia. Isso porque, apesar de ser descrito como um homem belíssimo, ele é extremamente arrogante e preconceituoso. A principal preocupação de Simon é para com a sagrada reputação da família - fato observado no livro anterior da trilogia, Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter. Mas, ao longo da narrativa, Juliana vai derrubando todas as paredes construídas por Simon e então vemos um outro lado dele - preocupado com aqueles que ama, carinhoso e extremamente nobre (no sentido de altruísta).  

Onze Leis a Cumprir na Hora de Seduzir foi um final perfeito para a trilogia. Divertido, doce e extremamente real de certa forma. Embora tenha gostado muito da história, confesso que Nove Regras a Ignorar Antes de se Apaixonar continua sendo o meu favorito. 

Um fato interessante é que Sarah MacLean também escreveu uma série chamada O Clube dos Canalhas, onde conta a história de algumas das personagens secundárias de Os Números do Amor, como lady Penelope Marbury e lady Georgiana! E, para nossa alegria, a editora Gutenberg já publicou essa saga completa no Brasil. Então já sabem o que estarei procurando ler em sequência! ;)




8 comentários :

  1. Carolina!
    Já gosto de Juliana desde o primeiro livro da série que acabei de ler. Me identifico muito com ela, porque sou de descendência italiana e falo mesmo tudo que penso.
    Quero ver como será essa disputa entre ela e Simon e que segredo é esse que ele guarda...
    Desejo um ótimo final de semana!
    “É preciso já ser sábio para amar a sabedoria.” (Friedrich Schiller)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Oi Carolina, ao final da leitura eu ainda não tinha certeza se tinha conseguido gostar de Simon haha, ele é um personagem difícil e só próximo do fim eu comecei a quebrar minhas barreiras pra ele, o que não significa que não tenha gostado da história, pelo contrário, amei. A história é ótima e Juliana uma personagem incrível, Sarah vem cada vez mais me ganhando com seus livros. Amei a resenha e curti demais essa leitura <3

    ResponderExcluir
  3. Nunca li nenhum romance de época :c já li várias resenhas de vários RE e até achei interessante, mas nenhum que eu ficasse "NOSSA EU PRECISO LER" kkkkkkk acho que só não é meu gênero

    ResponderExcluir
  4. Eu li "Nove regras a ignorar antes de se apaixonar" e amei!! Comecei o segundo livro da série, mas ele não me pegou tanto, aí deixei de lado. Mas por essa resenha eu já amo Juliana e quero demais ler o livro final da trilogia, só tenho que dar mais uma chance para o segundo. Adoro essas protagonistas fortes e independentes!!

    ResponderExcluir
  5. Olá Carolina!
    Eu tenho os dois primeiros, mas ainda não consegui ler, estou terminando algumas leituras q estavam na frente, mas tô chegando lá, não vejo a hora de conhecer á fundo esse enredo.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Oi Carolina,
    Sou fã da Sarah MacLean, li a série O Clube dos Canalhas e me apaixonei por sua escrita, a autora arrasa nesses romances de época, que por sinal, é meu gênero literário favorito. Amo seus livros, as histórias são envolventes, apaixonantes e divertidas, esses diálogos repletos de ironia me deixaram com aquele sorriso bobo no rosto durante grande parte da leitura.
    Já gostei da Juliana, uma mulher com personalidade forte que honra sua metade italiana haha, essa mocinha de língua afiada vai me conquistar com suas aventuras doidas. Fiquei curiosa com o mistério do Simon.
    Ainda não comecei a ler essa trilogia, mas já esta na meta e pretendo ler os três livros em sequencia.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Ainda bem que a trilogia fechou com um final perfeito as vezes algumas deixam a desejar. Quero muito ler, deve ser bem divertido o mocinho fugindo de escanda-los e vai logo se interessar por uma mocinha que parece estar rodeada dele rsrs. Mas o romance entre eles parece ser fofo e conquistar o leitor.

    ResponderExcluir
  8. Oi Carolina,
    Os números do amor é uma trilogia que tem chamado muita atenção e não vejo a hora de conhecer a escrita da autora. Simon e Juliana são personagens que defendem ideais diferentes, por isso, o relacionamento não poderia ter começado de outra forma. O fato da protagonista ter sido criada sem uma presença materna e com dois irmãos mais velhos, a tornou uma mulher mais desinibida e diferente do que se era esperado das moças pelas sociedade, a tornando uma personagem bem interessante de se acompanhar. Acredito que a autora soube concluir bem a trilogia com uma história e personagens marcantes.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook