Junho - A Garota do Calendário #06

Autora: Audrey Carlan
Título original: Calendar Girl: June
Tradução: Andréia Barboza
Série: A Garota do Calendário
Editora: Verus
Páginas: 160
Onde encontrar: AmazonBr | Americanas | Cultura | Saraiva | Submarino | Travessa

Sinopse: O que você faria para salvar a vida de seu pai? A vida é feita de escolhas. Mia Saunders fez a dela. O sexto volume do fenômeno editorial nos Estados Unidos, com mais de 3 milhões de cópias vendidas
Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato. A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser...
Mia vai passar o mês de junho em Washington com Warren, um coroa rico que precisa de uma mulher a seu lado para tratar com políticos e investidores. O acordo entre eles não envolve sexo — já com Aaron, o filho de seu cliente, Mia não pode garantir…

Enfim chegamos na metade da série A Garota do Calendário! Quem ainda não conhece a saga de Audrey Carlan, sugiro conferir as resenhas dos meses anteriores: Janeiro, Fevereiro, Março, Abril e Maio.
Cada um dos 12 títulos que compõem a série (cada um será um mês do ano) conta sobre a jornada de Mia Saunders que mudará não apenas a vida dela, como também de muitas outras pessoas até a chegada de Dezembro.

Como a maioria dos leitores já sabem, desde Janeiro (Resenha), Mia se encontra em uma situação difícil já que seu pai pegou emprestado 1 milhão de dólares do agiota Blaine Pintero (que por acaso é também ex-namorado de Mia) e, como não tinha como pagar, levou uma surra dos capangas de Blaine. Agora Mia trabalha como acompanhante de luxo (não é uma prostituta, vale ressaltar novamente) para pagar a dívida e impedir o assassinato daqueles que ama.

Então, como concreto endurecendo na calçada, a realidade me atingiu com força. Minha vida não era de fato minha. Maddy estava morando com um homem que eu tinha visto apenas uma vez. Uma vez! Nem pops permitiria aquilo. E pops... Eu tinha deixado meu pai em coma numa casa de repouso. O que havia de errado comigo? Tudo bem, este ano inteiro era sua culpa, e eu deveria estar chateada com ele. Eu conhecia meu pai. Ele jamais iria querer isso para mim. Bagunçando a minha vida e a da Maddy para quê? Para pagar um idiota com quem transei e achei que amava? Não. Ele deixaria que Blaine o matasse para me proteger de uma vida como aquela. A vida de uma acompanhante.
Mia, p. 115  

(Em Washington) "eles tem coisas como essa Casa Branca"

Nesse mês de Junho, Mia está na capital do Estados Unidos, Washington, para fingir ser a namorada-troféu de Warren Shipley, um senhor idoso e milionário. Warren não tem nenhum desejo sexual em Mia - até porque ele tem um caso secreto com sua governanta há anos -, mas precisa dela para que alguns políticos importantes (que só namoram garotas com idade para serem suas filhas/netas) se abram com ele e permitam que seus projetos filantrópicos no exterior ocorram de verdade.   

Assim que conhece o filho de seu cliente, Aaron Shipley (famoso também por ser o mais jovem senador da California), Mia fica atraída pelo pedaço de mau caminho vestindo um terno. O que ela não sabe ainda é Aaron pode ser muito perigoso também - e estou falando apenas no sentido ruim da palavra.

"Você está em perigo, garota"

Em Junho temos um dos meses mais reflexivos de Mia e também com poucas cenas eróticas. Enquanto ela ajuda Warren a conseguir os contratos que possibilitarão o funcionamento de seus projetos filantrópicos, a garota também tenta analisar seus reais sentimentos por Wes (Sr. Janeiro) e o tipo de relacionamento que os dois têm e que poderiam ter.

Pensei muito sobre o que Ginelle havia dito ao telefone. Eu amava Wes? Claro, eu tinha sentimentos muito fortes por ele. Mais do que jamais admitiria, mas tinha medo de chamar aquilo de amor. Com Alec, Mason, Tony, Hector e até mesmo Tai, essas três palavras - eu te amo - saíam com facilidade da minha boca. Com Wes, não. Por quê? O que me impedia? Acho que, em algum lugar lá no fundo, eu sabia que, se dissesse, os sentimentos de esperança e lealdade se construiriam. Eu não seria capaz de passar por novas experiências, terminar o ano com um cara novo a cada mês e pagar a dívida do pops.
Mia, p. 99

"Aparências enganam" (Hahaha)
Além de tudo, ela também aprenderá a ser muito mais cuidadosa com os rapazes, pois Mia comprovará a verdade do ditado “as aparências enganam”. Ainda bem que nos meses anteriores a garota criou grandes laços de amizades, pois serão eles que vão salvá-la do perigo dessa vez. 

O fim desse livro já deixa um caminho preparado para a recuperação de Mia e sua resolução sobre o tão esperado relacionamento com Wes no próximo volume. Em Julho, Mia terá que ser uma dançarina - embora não tenha a menor aptidão para a profissão - em um video clip para o cantor latino de hip-hop Anton Santiago em Miami! Em breve trago a resenha também! ;)




6 comentários :

  1. Oi Carolina, que bom que esse é um mês bom, apesar de não ter lido a série ainda já percebi através das resenhas que ela oscila durante os meses e as vezes a história é boa e as vezes não. Ainda não fui convencida pela a história de amor de Mia e Wes, mas acho bem legal acompanhar as resenhas, quem sabe futuramente eu resolva ler ;)

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu ainda não comecei a série, estou um pouco indecisa, se leio ou não, até tenho o primeiro vol, mas já li tantas resenhas flando bem e outras mal, que me deixaram confusa...
    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Acho que li essa série até outubro ou novembro e gostei muito dela!! Esse mês achei legal da autora quebrar essa rotina de sorte da Mia e ser mais realista e tal; apesar de ainda ter partes fofas!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Carolina,
    Li só os três primeiros livros da série, acabei dando prioridades para outros livros e não retornei mais a leitura de A Garota do Calendário.
    Vou voltar a ler (só não sei quando) pois tenho curiosidade de saber como vai ser o desfecho da história da Mia.
    Gostei de saber que no mês Junho a trama foca mais nas amizades da protagonista.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Carolina!
    Apesar de esse exemplar não ter muitos trechos de sexo (que gosto muito), acredito que seja um dos exemplares da série mais contundente para Mia, afinal ela passará poucas e boas nas mãos do filho de seu contratante e que bom ela ter amigos que conseguirão salvá-la... ansiosa por ler.
    “Terei toda a aparência de quem falhou, e só eu saberei se foi a falha necessária.” (Clarice Lispector)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JUNHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Carolina,
    Achei interessante neste volume que a autora trouxe abordagens mais sérias e reflexivas para a trama, pois é de se esperar que ao chegar na metade da jornada da protagonista algumas coisas comecem a a seguir um rumo mais definitivo e concreto na vida de Mia. O livro não ter tantas cenas eróticas é bom para mudar a dinâmica da narrativa e, consequentemente, trazer uma nova perspectiva para toda a série.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook