#Mês do Halloween: Tempestades de sangue - FN #02 + Entrevista com Kel Costa


Autora: Kel Costa
Série: Fortaleza Negra
Editora: Jangada
Páginas: 320
Onde comprar: Saraiva | AmazonBr | Submarino

Sinopse: Durante o último ataque de mitológicos à Fortaleza Negra, Sasha sofreu perdas irreparáveis. Agora, só o que ela quer é juntar os cacos e seguir em frente. Mas, quando menos espera, ela se depara com um esquema de tráfico de sangue dentro da Fortaleza e resolve usar essa informação para se aproximar de Klaus, o líder dos Mestres vampiros. Enquanto isso, Mikhail viaja na companhia dos irmãos numa caçada aos mitológicos, e está concentrado em encontrar seus inimigos e dar fim ao grupo que atacou a Fortaleza. Mal sabe ele que enquanto isso, Sasha está se arriscando para desvendar todo o mistério que envolve o tráfico de sangue, ao mesmo tempo que tenta se reaproximar do cientista Blake Campbell e descobrir mais sobre a Exterminator, a arma criada para exterminar os mitológicos, mas que também pode ser uma grande ameaça para os vampiros. Será que Blake está tramando contra os Mestres? Sem que imagine, as investigações de Sasha a levam a percorrer um caminho sem volta que acaba se transformando no seu pior pesadelo.
Hoje eu trago para vocês os vampiros mais barra-pesada que eu já vi por aqui desde os Strigoi. O segundo volume da série Fortaleza Negra, de Kel Costa, é uma sequência perfeita para a história de Aleksandra Baker. Fortaleza Negra (resenhado aqui) nos apresentou a um mundo governado pelos Mestres, os vampiros mais poderosos da raça. Os humanos vivem em uma ameaça constante, pois há algo extremamente perigoso lá fora: os mitológicos, criaturas grotescas que dizimaram grande parte da nossa população e os grandes inimigos dos Mestres; afinal, eles podem acabar com sua fonte de alimento. Para dar um fim neles, Johnathan Baker e Blake Campbell foram convocados para juntos, criarem uma arma de fogo que pudesse ser usada contra os mitológicos, a Exterminator. Ela é finalmente criada, porém, haverá tempo de usá-la? 
O final do primeiro volume nos deixou com extremamente curiosos para descobrirmos o que aconteceria depois do ataque de Zênite, Rainha dos Mitológicos, à Fortaleza, no qual o príncipe dos mitológicos é gravemente ferido por Sasha, lembram-se? Bom, nesse segundo livro, vemos Mikhail e seus irmãos, Nikolai, Vladimir e Nadia, partirem pela Europa em busca do exército dos mitológicos, deixando a Fortaleza nas mãos de Klaus.

A narração foi dividida entre os pontos de Sasha, Mikhail, Kurt e Klaus (sim!, por menor que seja, temos um vislumbre dessa tenebrosa mente!) e isso deu à história uma pegada muito melhor no quesito dinâmica. Enquanto Sasha nos conta suas incríveis desventuras pela Fortaleza, Mikhail preenche cada vez mais alguns pontos históricos mostrando a participação dos Mestres ao longo dos milênios de existência humana. Eles viram a queda de Constantinopla, se encontraram com Joana D'Arc, controlaram a peste negra... enfim, estavam por aqui desde sempre. O que é um ponto muito positivo na série; Kel Costa é amante da História, então todas as descrições que conhecemos dos livros estão na sua narração, porém com um toque de seus vampiros, que foram essenciais para os acontecimentos ocorrerem do modo como os conhecemos hoje. 

Do lado de cá, Sasha está passando pelo seu luto. A perda de sua melhor amiga a deixou extremamente abalada e com algumas resoluções, como aprender a lutar. Sendo assim, ela tentará fazer umas trocas. Afinal, sendo Sasha, acaba descobrindo conversas que definitivamente lhe trarão problemas: ela descobre que há tráfico de sangue dentro da Fortaleza e que Blake está mais envolvido na traição aos Mestres do que ela achava possível. 
"Era impressionante como, desde primeiro dia em que pisara ali, eu sempre me metia em confusão! As pessoas deviam achar que era eu quem procurava problemas, mas não era verdade. Os problemas é que me encontravam, sem que eu pedisse. E, quando isso acontecia, eu simplesmente os encarava." Sasha, p. 11
Quase como uma detetive, Sahsa não terá medo de enfrentar qualquer desafio. Seja um Mestre, seja um mitológico, seja seus próprios receios. Sasha é forte. E Kel não deixa seus leitores esquecerem disso. Os Mestres são vampiros milenares que têm coisas mais importantes com as quais se preocuparem, porém - em alguns pontos - vemos pequenos flashes de humanidade. E eu acho importante frisar essa característica novamente, os vampiros de Kel não estão de brincadeira! Eles não são açucarados, eles são duros, cruéis, indelicados - porém Mikhail está em um relacionamento com Sasha... então, mesmo que eu estivesse me incomodando com sua brutalidade, ficava me lembrando da proposta de Kel na criação dos vampiros, e me acostumei com a dinâmica dos dois. 
"Bom, eu não estava aguardando pelo príncipe encantado. Eu já tinha encontrado o meu... rei das sombras." Sasha, p. 88 
Lara e Kurt continuam ótimos. Eles são amigos incríveis, sempre prontos para uma festa ou ir uma guerra ao lado de Sasha, eles se ajudam e se protegem. E, como prova, os dois não aceitam Blake em seu círculo íntimo. Sim, porque Blake quer retomar o contato com Sasha. Apesar de tudo o que passaram, ela aceita somente porque ele pode lhe fornecer informações a respeito da Exterminator ser utilizada contra os Metres. É claro que isso não poderia resultar em algo bom, e é nesse ponto que partimos para a segunda metade do livro. 
As cenas da batalha são sensacionais. Eu entendi o significado da capa na metade do livro e do título com a cena que dá início ao conflito. Deu uma sensação tão legal, espero que seja assim para vocês também. 
"Era difícil falar. E eu nem sabia o que dizer, porque o que havia diante dos meus olhos era pura tristeza. Dezenas de corpos espalhados pelas ruas da cidade. Mitológicos, vampiros e humanos se misturavam e coloriam a água com seu sangue."
É um livro incrível que fará com que nossas personagens humanas crescem e que nossos Mestres se habituem mais com os moradores de sua Fortaleza. Nós também conheceremos profundamente a origem dos mitológicos e dos Mestres (adorei ambas as histórias, parabéns Kel!) e por fim, ficaremos implorando pelo lançamento do terceiro livro. A narração não deixa a desejar e Kel não tem medo de levar a história para onde ela precisa ir, portanto tenho certeza de que os leitores ficarão satisfeitos, assim como eu, com o segundo volume!





Enquanto esperamos o lançamento do terceiro livro, que tal não nos deliciarmos com uma entrevista que a Kel foi tão gentil em nos responder? Espero que gostem e que possam acompanhar o trabalho dessa incrível autora. A carioca Kel Costa, 32 anos, é autora de diversas fanfics no mundo de Crepúsculo e fora dele. Fortaleza Negra é sua primeira obra lançado por uma editora comercial. Vocês podem conferir um pouquinho mais a respeito dela no site da autora, além segui-la por todas as redes sociais possíveis! Aproveitem!


#Entrevista 

Livros: ontem, hoje e sempre: Devo dizer que a conheci através do Orkut com as fanfics e fico mais do que feliz em ver o futuro que está construindo para você. Como é passar de uma fanficwriter para uma escritora de romances fantásticos? Qual a principal diferença que você nota entre escrever uma fanfic e criar seu próprio mundo? 

Kel Costa: Ainda é um pouco surreal. Eu comecei a escrever fanfics sem nem imaginar que um dia publicaria o meu próprio livro. Mas tenho muito orgulho do passado e sou grata por tudo que o mundo das fanfics me proporcionou. Foi um aprendizado enorme! 
É um mundo todo diferente. O das fanfics é só a pontinha do iceberg. Então, acho que a diferença mais impactante é o quanto o autor trabalha para escrever o livro. Não falo por todos, mas no meu caso, quando escrevia uma fanfic, fazia por hobby. Eu não perdia semanas, meses da minha vida fazendo pesquisas para construir o enredo. Eram histórias mais rasas, simples, feitas para serem curtas e rápidas. Um livro requer muita dedicação, é preciso focar naquilo se quiser fazer algo com qualidade. Além disso, ter um leitor falando do seu livro, dos seus personagens, é muito mais gratificante do que ouvir alguém elogiar a história que você escreveu sobre o personagem de outro autor, rs.

LOHS: Como foi o processo de escrita de Tempestades de Sangue? Para onde acompanharemos Sasha? 

Kel: Posso garantir que foi muito mais tenso que o processo de Fortaleza Negra. O Fortaleza eu escrevi aos poucos, ainda não tinha editora, muito menos um prazo. Para Tempestades, eu tinha um prazo a cumprir e uma história para desenvolver. Nele, eu explico toda a mitologia que há por trás do surgimento dos Mestres, assim como dos Mitológicos. Foram lendas que eu precisei criar e pensar meticulosamente em cada detalhe porque queria algo que nenhum leitor tivesse encontrado em outros livros. Eu levei em torno de cinco meses para concluir a obra e foi intenso. Eu não tinha um minuto dedicado ao lazer. Todo o meu tempo livre foi usado para escrever e tentar entregar o melhor livro possível aos leitores. 
Sobre a Sasha, ela ainda é uma garota em conflito com os próprios sentimentos. Principalmente no que diz respeito a Mikhail. Em contrapartida, quando o assunto é sobrevivência, a Sasha sabe muito bem o que quer. É em Tempestades de Sangue que a guerra se desenvolve de fato e a Sasha se descobre uma pessoa forte, capaz de encarar o que vier pela frente. Ela está pronta para ser uma humana de quem os Mestres se orgulhariam.

LOHS: Escrever é demorado e trabalhoso, mas não há nada mais gratificante do que ver seu mundo criar forma. Além das fanfics e da trilogia Fortaleza Negra, você já tem mais ideias enchendo sua cabeça?

Kel: Sim, depois de entregar Tempestades de Sangue para a editora, comecei a trabalhar em dois projetos diferentes. Um se enquadra no universo fantástico, pois não consigo ficar longe desse mundo. O outro é um romance, mas, por enquanto, são apenas projetos.

LOHS: A inspiração vem de todos os lugares possíveis, o que você mais gosta de ler, assistir, escutar que lhe dá a vontade de sentar e escrever como se não houvesse amanhã?

Kel: Eu leio muito, vejo muito filme e seriado. Sou devoradora mesmo, principalmente de tudo que envolva o gênero fantasia/sobrenatural. Então sempre que me sinto um pouco travada na escrita, quando acho que estou precisando de um pouco de inspiração, me tranco no quarto e consumo tudo que encontrar pela frente, rsrs. Geralmente, são dos filmes que eu tiro mais ideias. Amo os épicos!

LOHS: Você é muita próxima dos seus fãs. Você acredita que poderá continuar assim quando a fama a atingir? Porque, acredite, ela já está batendo à sua porta! 

Kel: Eu espero que sim, viu? Hahahaha. Sei que chega uma hora que acaba sendo impossível dar a devida atenção para todos, mas eu acho a interação com os leitores a parte mais importante dessa profissão. Pelo menos é o que mais me faz bem. Ter esse contato será sempre prioridade para mim. Eu sou leitora também, então sei como é legal quando algum escritor que eu adoro lembra que eu existo, rs.

LOHS: Para finalizar, gostaria de agradecer a você, pois foi por meio das suas fics que me inspirei a escrever. E tento, até hoje. Estou trabalhando em dois projetos, mas estou empacada e sem tempo para me dedicar a essa paixão. Tem um poema de Bukowski que amo, So you want to be a writer, e ele diz muito bem o que escritores apaixonados sentem. O que você tem a dizer para aqueles que se inspiram em você? E para aqueles que desejam ser escritores um dia? 

Kel: Aproveitando que você já está no caminho, digo para você e para quem estiver lendo: não desista, continue tentando. Há os que escrevem para fazer número e há os que escrevem por paixão. Para mim, é daí que saem os melhores livros. Então faça com calma, espere o momento chegar, não se desespere se não conseguir escrever por um mês inteiro. 
A profissão é solitária e não possui tanto glamour quanto parece. Isso faz com que muita gente desanime depois de receber o primeiro “não de uma editora ou quando publica o primeiro livro e entra em depressão porque ele não virou um best-seller. Não adianta ter pressa, às vezes acaba sendo devagar mesmo. Mas eu garanto que receber um elogio de um leitor é uma das melhores sensações do mundo. 
Para quem ainda não iniciou a jornada, mas tem vontade de se tornar um escritor, eu digo para ler. Leia muito, muito, muito. Enriqueça seu vocabulário, porque conhecimento nunca é demais. E não foque num só gênero. Procure ler autores que você nunca pensaria em ler, não tente se tornar cópia de um determinado escritor. Tenha o seu próprio estilo, pois é isso que faz a diferença.

Iza, obrigada pelo carinho e pelo espaço aberto aqui no blog. Me deixa muito feliz saber que você fez parte de uma época tão boa em minha vida, o querido Orkut, onde tudo começou! E espero, de coração, que termine seus projetos e tenha sucesso com eles.

Eu que agradeço, Kel. 
Beijos e mordidas! 
#VempraSãoPaulo

25 comentários :

  1. Não li a resenha, pois eu qro muito ler essa série ,e não gosto de spoilers ,mas adorei a entrevista ,gostei de saber mais sobre a autora ,eu não sabia que ela havia começado escrevendo fanfics ,é uma inspiração para quem sonha ser escritor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A resenha está sem spoilers, Jéssica. Se quiser, pode voltar e ler tranquilamente. Espero que goste tanto dessa série quanto eu!
      E, sim, a Kel é um exemplo a ser seguido, com certeza!

      Beijos, volte sempre

      Excluir
  2. Me interessei pela história, vou procurar a resenha do primeiro! Adorei a resenha, a autora é uma fofa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raquel, a primeira resenha está linkada aqui. Espero que goste de Fortaleza Negra.

      Beijos!

      Excluir
  3. Gostei demais da resenha, o livro já me chamou atençao por abordar um tema que eu adoro. Bem legal a entrevista, foi bom saber um um pouco da autora e suas inspirações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado, Emanoelle!
      Kel é uma fofa que merece tudo o que fazemos por ela.
      Espero que goste dos livros!

      Beijos, volte sempre

      Excluir
  4. Oi Izabela!
    Não conhecia a série da Kel Costa. Que bom que o segundo livro empolgou você tanto quanto o primeiro.
    Eu torço um pouco o nariz para vampiros, então não pretendo conferir a série, mas desejo sucesso para a Kel :)
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, Mariana... que pena que vampiros não são a sua praia.
      Já tentou com algum livro?? Vai ver você só não achou seu estilo sugador de sangue favorito, não?

      Beijos, volte sempre!

      Excluir
  5. Que legal, gente!
    Confesso que li a resenha do livro por cima porque ainda não li o primeiro da série.
    Mas quando você disse que os vampiros são os mais barra pesada desde os Strigoi, me ganhou totalmente, hahaha.
    E que bacana saber que ela começou com fanfic no Orkut!
    Foi um longo caminho de lá até agora, né?
    Eu também sou bem fã desse universo fantástico, sobrenatural.
    Gosto de leituras fantasiosas. De muita realidade já basta a vida.
    :)

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aeee, que bom que pude te convencer, Teca!
      Você viu?? A Kel é gente como a gente.
      E concordo totalmente com você: de real já basta a vida. A literatura precisa nos libertar.

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá Izabela,

    Não curto halloween, mas alguns livro me interessam, esse fiquei curioso e essa é a primeira resenha que leio dele e já anotei a dica, também gostei muito da entrevista....parabéns....bjs.

    devoradordeletras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Marco. Sério que você não gosta dessa época do ano? Que pena... Espero que goste, então, do livro. Quando tiver a oportunidade de ler a série, volte e deixe seu comentário novamente!

      muito obrigada e até mais!

      Excluir
  7. é bom saber que nem todos os vampiros atuais brilham no escuro hsuahs
    é muito interessante ver autores de fanfic por hobby se tornando autores de livros, fico feliz quando vejo casos assim!
    adorei a resenha e a entrevista!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá Thiago!, siiim, com certeza esses vampiros não estão brilhando no escuro. Eles estão é queimando (se é que me entende!)
      fico feliz que tenha gostado, volte sempre!

      Excluir
  8. Saudações, Izabela!

    Em vez de responder ao seu comentário lá no CdM vim até aqui para retribuí-lo. Quando tocou no assunto eu me dei conta que seu primeiro comentário lá foi por conta dessa série, e que bom que a minha resenha a fez pensar no que chamo de "além trama". A Kel fez um cenário bem legal e a história narrada me agradou, mesmo eu não sendo um leitor habitual de histórias com romances. Justamente por isso comentei sobre a questão da produção cultural, que como eu disse sofreria fortes influências pela alteração politica e social, além dos efeitos mais diretos. Só faltou perguntar sobre isso na sua entrevista XD
    Eu confesso que torci para que Klaus acabasse com Sasha em diversos momentos, ela me irrita MUITO. Mas apesar da couraça dura esses vampiros são beeem tranquilos. Se acha eles barra-pesada é porque precisando ser apresentada a outros vampiros por aí, hein? XD

    Saudações,
    Até o próximo contato, cambio e desligo!
    Ace Barros
    Capitão do drakkar Interlúdio, navegando pelo Multiverso X
    multiversox.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ace, saudações!!

      Eu posso propor essa pergunta agora mesmo! hahaha
      Sasha consegue tirar qualquer um do sério, não?
      Mas gente, por favor, me apresente! posso encontra-los no Multiverso X?

      Abraços!, até a próxima

      Excluir
  9. Iza, eu não conhecia o livro, mas achei super interessante e sua resenha me deixou curiosa, porém não é uma leitura que eu esteja interessada em fazer no momento. Quando tiver com aquela vontade de ler algo com essa pegada mais sobrenatural, já sei o que buscar ;)
    Bjs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alessandra, fico feliz que Fortaleza Negra tenha entrado para sua listinha pessoal! é uma série incrível, você não irá se arrepender. Mas, por favor, espere mesmo pela época certa de leitura.

      Beijos, até a próxima!

      Excluir
  10. Olá!!
    Não conhecia a serie mais gostei muito mesmo, a historia me intrigou, irei tentar adquirir logo o primeiro volume pra começar a leitura desa serie que promete.
    Também é agora que conheço a Kel Costa, e já gostei dela, gosto muito dessas entrevistas porque assim a gente fica conhecendo melhor sobre esses talentos que nus causam tantas emoções em seu livros.
    Bjocas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rose, com certeza nossa entrevista valeu a pena se conseguiu aproxima você ainda mais dessa tão talentosa autora! Espero que curta sua jornada por Fortaleza Negra e se encante por esse mundo novo!

      Beijos, volte sempre!

      Excluir
  11. Quando vi o livro me interessei, adoro historias de vampiros, mesmo sendo cruéis, dominadores e tudo mais rsrsrs. Gostei da Sasha, decidida, não tem medo, gosto de personagens assim. Adorei a entrevista ficou muito boa, achei interessante ela dizer que tem algo que o leitor não encontra em outros livros, preciso ler para saber que diferencial é este haha. Também adoro fantasia e sobrenatural.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, fico extremamente feliz com seu feedback. Espero que quando se aventurar por Fortaleza Negra, divirta-se tanto quanto eu!

      Volte sempre!

      Excluir
  12. Eu particularmente acho as histórias de vampiros bem clich}ê, mas vi que a autora conseguiu colocar elementos novos na história e fugiu do tradicional, fiquei até curioso pra ler.
    Não conhecia a autora, mas é realmente gratificante ver que as fanfics lhe fizerem crescer e lhe deram amadurecimento pra um projeto maior! Sucesso!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. João, concordo com você! Kel amadureceu muito durante odo seu processo.
      E definitivamente foge do tradicional com sua série Fortaleza Negra. Espero que dê uma chance a ela e possa aproveitar a leitura tanto quanto eu.

      Volte sempre!

      Excluir

Obrigada por fazer quatro blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook