Amante Consagrado - IAN #06

Autora: J. R. Ward
Título original: Lover Enshrined
Tradução: Alyne Azuma
Série: Irmandade da Adaga Negra
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 548

Dedico a: você.
Você foi um perfeito cavalheiro e um alívio.
E eu acredito que a alegria se transforma em você -
com certeza você merece.

Muitos segredos são revelados nesse sexto e avassalador volume de IAN. Ward consegue nos manter intrigados com o misterioso e infiltrado filho de Ômega. Escreve com maestria sobre assuntos que poderiam deixar muitos fãs incomodados e, como sempre, nos da uma história cheia de reviravoltas.

Narrando Amante Consagrado, temos Phury, irmão gêmeo de Zsadist, enfrentando seu inferno pessoal. Todos lembram que ele se ofereceu para ser o Primaz da raça, livrando V. de um destino com o qual ele não conseguiria lidar.
Essa decisão altruísta mudou radicalmente a vida de todos.

Phury sempre foi descrito como elegante, lindo e carinhoso; não se preocupava consigo mesmo, só com o bem estar e conforto dos outros, sempre um herói. Logo, não entendíamos a necessidade que ele tinha de recorrer à Fumaça Vermelha, seu vício há 200 anos. Porém, Ward narra com maestria (e tomando o devido cuidado para que os fãs não passassem a odiá-lo de maneira errônea) os motivos pelos quais Phury é empurrado à droga. Lado a lado com a narração do Irmão, teremos O Mago, a voz [consciência distorcida (?)] que inferniza os pensamentos do nosso tão carinhoso Irmão. Levado a situações extremas como: torturador, viciado, incompreendido e deixado de lado, Phury acredita realmente que está sozinho e condenado a viver uma vida com a qual não se identifica. Sempre lembrando que ele tem ainda as 40 Escolhidas para 'semear'.

Cormia é um lado bem trabalhado nesse livro, deixando de ser uma pequena garota fraca, libertando-se aos pouco das amarras das tradições d'Outro Lado. Ward consegue nos surpreender. Além de uma profunda mudança interior, algumas escolhas de Cormia são características de uma personagem forte. Por exemplo, o rumo para o qual a situação entre ela e o Primaz segue no final do livro é digna de nota. Quero dizer, toda a história deles é digna de nota: superações, força, coragem para mudar... ambos conseguem se ajudar.

Rehvenge e Xhex ganharam mais espaço. Desde sua participação em Amante Revelado, todos ficamos muito intrigados com a história dos sympathos, a raça deixada à margem da sociedade vampírica, principalmente porque Rehvenge tem todo mês assuntos a tratar com uma Princesa. Aqui, começamos a ter um vislumbre maior da encrenca na qual eles estão metidos, especialmente nosso olhos ametista. Nosso trio preferido também está presente e com uma história sangrenta: John, Blay e Qhuinn levam bem a sério essa história de matar pelos amigos e ganham cada vez mais espaço. Mas, não poderia deixar de comentar -também - quem volta para casa! Depois de sumir por quatro livros, um Irmão é resgatado por Lassiter, uma criatura que não tínhamos visto por aqui: um anjo. Essa dupla e muitas consequências serão trabalhadas futuramente.

Eu gostei bastante do livro, apesar de tudo. Repleto de lutas (Sociedade Redutora faz alguns ataques ardilosos), superações (decisões nunca são fáceis de serem tomadas) e fraternidade. Vemos um Irmão chegando no fundo do poço e lutando para seguir em frente. É um livro que representa rupturas e mudanças com o que a série vinha apresentando até agora e que marca o começo de uma nova etapa, tanto para as Escolhidas quanto para um ex Irmão.

Outro detalhe que necessito comentar é o ponto final que surgiu para o passado de Zsadist e Phury, como muitos devem saber - pelo terceiro livro da série - ambos passaram por poucas e boas e neste sexto volume, temos a chance de ver como os irmãos lidarão com essa situação. sz'

Boa Madrugada






2 comentários :

  1. Eu tive raivinha (e ainda mantenho minha birra) com relação ao Phury... Compreendo o que você sente e gostaria de sentir assim, mas achei esse personagem extremamente cansativo.
    O livro é bom no sentido das mudanças que irão transformar a sociedade vampírica - concordo com você nisso. E acho que as sequência a partir deste livro continuam esse trabalho até mudar completamente - e para melhor - essa comunidade.

    ResponderExcluir
  2. Achei a sua resenha demais, Izabela. Concordo com algumas pessoas que não tenham gostado do livro do Phury, mas na minha opinião o motivo é que eu não havia entendido muito bem sobre os demônios que ele carrega; para mim, havia sido mais um "não tenho o que falar dele então vou inventar esse mago". Mas depois da sua resenha, acredito que muitas pessoas sejam capazes de mudar seu ponto de vista. Achei que você desenvolveu e explicou muito bem. E o que eu posso dizer? Não tive como não gostar dele, ele é irmão do meu amado Zsadist e eu não consigo odiar nenhuma macho da série, seja ele malvado ou não. Com exceção do Lash, é claro.

    ResponderExcluir

Obrigada por fazer três blogueiras felizes, seu comentário e sua opinião são muito importante pra nós! Todas as visitas e comentários serão retribuídos.

(Comentários contendo ofensas e palavras de baixo calão não serão aceitos).

Seguidores

No Instagram @bloglohs

Vem pro Facebook